Categoria: Comportamento

Girls Who Code – mais do que um programa, é um movimento

girls_who_code

Quem lembra do nosso post sobre o Girl Geek Dinners não vai ficar surpreso com esse (não tão) novo movimento feminino.

Desde 2012, o Girls Who Code (GWC) trabalha para educar, inspirar e capacitar jovens mulheres com habilidades e recursos para buscar oportunidades acadêmicas e carreiras dentro da área de computação. Segundo o movimento, apenas 12% do estudantes de computação são mulheres;  enquanto outra pesquisa – conduzida pelo Womem 2.0 – sugere que menos de 5% das startups no setor de tecnologia são fundadas por mulheres.

Até 2020, o Ministério do Trabalho dos EUA projeta que haverão 1,4 milhões de vagas para especialistas de computação. Para alcançar a igualdade entre gêneros até esse ano, as mulheres devem preencher 50% destas vagas, ou seja, 700mil vagas na área de computação. Mas se apenas 12% dos estudantes são mulheres, não há possibilidade das mulheres preencherem essas posições, e é aí que o GWC entra! O movimento planeja atingir, educar e formar 1milhão de jovens mulheres até 2020! 😉

Junto com educadores, engenheiros e empresários, o GWC desenvolveu um novo modelo para ensinar ciência da computação, introdução à robótica, webdesign e programação de apps. Essas novas idéias são incentivadas por empresas como Microsoft e Google, mas também pelas maiores engenheiras e empresárias das indústrias de computação.

Os cursos do GWC envolvem 8 semanas de aulas, palestras, workshops e visitas à empresas de tecnologia; são mais de 300 horas de imersão no mundo da computação e como trabalho de conclusão de curso as alunas desenvolvem – por exemplo – aplicativos para os novaiorquinos com mobilidade reduzida usarem o metrô, ou aplicativos no Twitter para começar clubes de livros e retornam à suas escolas para recrutar mais mulheres para se juntarem às Girls Who Code.

Se interessou? Acesse a página do Facebook ou o site oficial do movimento Girls Who Code.

Tubby é proibido no Brasil antes mesmo do lançamento

Nem estreou e já foi proibido! | Imagem: Tubby/Reprodução

Na última quarta-feira, a 15ª Vara Criminal de Belo Horizonte proibiu o lançamento e o uso do Tubby, o aplicativo “revanche” que permitiria avaliar as mulheres do Facebook. A ordem emitida prevê uma pena diária de R$10 mil caso a decisão seja descumprida, coitados dos desenvolvedores!

O juiz Rinaldo Kennedy Silva, da Vara Especializada de Crimes Contra a Mulher da capital mineira, foi quem deu o veredito com a proibição de disponibilização do aplicativo tanto na GooglePlay Store quanto na AppleStore. Além disso o Facebook e a equipe de criação do Tubby também estão proibidos de disponibilizarem publicamente o app.

Após ter recebido o pedido de ação promovido por algumas entidades feministas – como a Marcha das Vadias e o Movimento Mulheres em Luta – e embasado na Lei Maria da Penha, o juiz entendeu que o aplicativo poderia submeter as mulheres à violência psicológica.

“A informação na internet se propaga muito rápido. Depois que o estrago está feito é difícil ou quase impossível de reparar”, disse a advogada e integrante do movimento coletivo Margarida Alves, Fernanda Vieira Oliveira.

O Lulu continua firme e forte… agora é só esperar o kissuco ferver nas redes sociais! 😉

PinSex: porque ele é o futuro do “social porn”

A maioria das redes sociais não permite a exibição de conteúdo adulto – a maior delas, o Facebook, tem uma política rígida em relação à isso, bem como o Instagram e o Tumblr – e a indústria do sexo percebeu uma grande perda de espaço nessas ferramentas sociais.

Visando essa parcela do mercado necessitado, Christian Thorn (CEO da Pin-Digital) resolveu investir em sua própria rede social que está revolucionando o mundo das putarias online: conheça o PinSex.

sexpiration

Assim como a plataforma Pinterest, os usuários do website podem criar suas próprias coleções de imagens, seguir outros usuários (e milhares de estrelas pornôs) e procurar imagens por categorias, como ‘amador’, ‘pau grande’, ‘Euro’, ‘emo’, ‘porra’ e ‘orgia’. Eles também podem carregar e distribuir seus próprios vídeos caseiros dentro do PinSex e comprar brinquedinhos diretamente pelo site.

Mas o PinSex chegou um pouco atrasado nessa leva de redes sociais pornôs. UM ANO ATRASADO, diga-se de passagem. E porque tem feito tanto sucesso? Simplesmente pelo fato de que sua dinâmica e suas ferramentas são melhores desenvolvidas para os fapeiros de plantão. Você pode criar pins de maneira anônima!!! \o/

E mais, quem frequenta sites como PornTube, Xvideos, e RedTube, sabe que a quantidade de propaganda é alarmante. Você entra pra ver umas MILFs num ménage e recebe uma tripla penetração gay na cara; e é justamente isso que o PinSex não faz: a plataforma em formato de Pinterest permite que você só veja conteúdo relacionado aos seus interesses sexuais, sem spam e coisas pulando na sua cara e sem ter como fechá-las. Mais um ponto pra eles! 😉

Confira o vídeo de divulgação da rede PinSex.

O que é Sexo Tântrico?

Sexo tântrico é chegar a um prazer extremo, muito mais do que existe no orgasmo tradicional, e manter esta sensação por um tempo bem superior ao considerado normal.

Mas não adianta ser apressado, achando que isso vai ajudar, pois no sexo tântrico não pode haver pressa. Quanto mais ele demorar a acontecer, melhor será! Isso acontece porque toda energia retida durante o sexo, quando liberada, surge sob forma de uma explosão. O casal chega a perder a noção de tempo enquanto transa.

O objetivo não se resume ao hiperorgasmo, mas todo o conjunto de excitação e carinho que envolve cada um. O prazer está em percorrer o caminho para chegar até o ponto desejado. Em média, uma relação sexual dura em torno de 15 minutos, já no sexo tântrico ela dura, no mínimo, duas horas. Caso haja ejaculação em menos de uma hora, acaba se considerando ejaculação precoce.

De origem indiana, o sexo tântrico é considerado uma meditação a dois, um acontecimento sagrado. Durante o ritual tântrico de amor, a mulher se transforma na deusa Shakti e o homem, em Shiva, seu consorte. Juntos, eles se misturam à energia do universo. No sexo tântrico quem domina a situação é a mulher. Ela é vista na relação como uma divindade que conduz a relação. A deusa Shakti é o coração do Tantra. Ela é o poder e a intensa energia feminina que conduz ao êxtase e à iluminação.

shiva e shakti

O sexo inicia-se com troca de palavras afetuosas, trocas de carinho e de contemplação simultânea de ambas as partes. Não existe egoísmo. Ambos aproveitam e se doam. No sexo tântrico, não existem atitudes agressivas e violentas. Não existe “sacanagem” e o que se procura é fazer amor, literalmente amor. Aliás, a forma mais correta de denominação seria “amor tântrico”.

A filosofia é bem mais complexa do que se pensa, mas vale a dica de repensar no tempo que você está levando para fazer amor com seu parceiro(a). Nem sempre qualidade quer dizer imediato! 😉

O que lambemos na Erótika Fair!

Continuando a nossa saga na Erótika Fair, se você perdeu o primeiro post, clica >> aqui <<.

Produtos Alimentícios

Se é que dá pra chamar assim, né? Vocês se lembram do nosso episódio sobre a “Arte Milenar do Halls Preto“? Neste cast nós não paramos de falar sobre umas lâminas de amido, que serviam perfeitamente para o sexo oral.. E nós finalmente conseguimos achar esse produto lá! Uma pena que não era um stand da Freegells com vendas, mas nos enchemos de amostras pra usar com os respectivos! 😉

Lá na Erótika entramos em contato com a “Loka Sensação“, uma empresa com uma proposta super diferente.. Eles eram originalmente do ramo de produtos alimentícios, mas descobriram no ramo erótico uma oportunidade de ouro. Então eles resolveram focar na produção de brinquedinhos eróticos comestíveis! Se tiverem a oportunidade, procurem os itens desta distribuidora de produtos eróticos.

Também paramos no stand da Hot Cacao pra comer uns chocolates sensuais! Mas dessa vez nos surpreendemos! Não apenas pelo bom humor dos produtos, mas também pela qualidade dos chocolates. Sinceramente, não é incomum comer um docinho desses feito com aquele cacau sebento estranho, que tá mais pra parafina do que chocolate de fato. Mas a Hot Cacao não é dessas empresas hidrogenadas, lá o chocolate é MUITO bom! o/

Aguardem mais fotinhos… no próximo post!

PussyCast © 2013 Frontier Theme